Jardim Botânico de Curitiba

Jardim Botânico de Curitiba

Hoje nós conversaremos sobre o Jardim Botânico de Curitiba, também conhecido como Jardim Botânico Francisca Richbieter. Esse esplendoroso jardim é um dos principais pontos turísticos da cidade de Curitiba.

A sua importância na cidade é tamanha, que o bairro onde o jardim fica localizado se chama Jardim Botânico, em homenagem ao jardim.

Desse modo, reconhecendo a sua importância, hoje vamos entender como esse espaço foi construir, os seus principais pontos, sua diversidade de plantas e animais, dentre outras características pertinentes a sua constituição.

História do Jardim Botânico de Curitiba

Vista aérea do Jardim Botânico de Curitiba
Vista aérea do Jardim Botânico de Curitiba

O Jardim Botânico de Curitiba foi inaugurado em 5 de outubro de 1991. Ele foi arquitetado pela urbanista Francisca Maria Garfunkel Rischbieter, e por isso que muitos também chamar o complexo botânico de Jardim Botânico Francisca Richbieter.

Sendo assim, todo o jardim está localizado em 278 mil metros quadrados. É dentro desse espaço que encontramos uma área de preservação da Mata Atlântica, um dos biomas mais devastados do território brasileiro.

Por este motivo, que o parque também é reconhecido com uma unidade de conservação. E para comprovar isso, trouxemos uma pequena estatística. Para você ter noção, dos 278 mil metros quadrados, 40 % dessa área é composta só de áreas de preservação permanente.

 É muita coisa! Principalmente para um país que pouco se importa com o meio ambiente.

Além disso, podemos encontrar no Jardim Botânico de Curitiba outros espaços convidativos. Isso porque, além das estruturas voltadas para exposição botânica, temos muitos gramados, ideais para o público visitar e realizar outas atividades, como piquenique, brincar, ou simplesmente relaxar.

Portanto, o espaço torna-se muito querido pelos curitibanos, e principalmente pelos turistas, que são uma das principais categorias de visitantes do jardim.

O que tem no Jardim Botânico de Curitiba?

Estufa abriga espécies da mata atlântica.
Estufa abriga espécies da mata atlântica.

O Jardim Botânico de Curitiba é composto de algumas estruturas voltadas para a exposição botânica de forma mais direta. São elas: as estufas, os jardins franceses, o Museu Botânico de Curitiba (herbário), o jardim das sensações, as trilhas e lagos.

Todos esses espaços iremos conhecer mais profundamente a seguir.

Estufas

A estufa tem uma vista incrível através dos seus vitrais.
A estufa tem uma vista incrível através dos seus vitrais.

É nas estufas que você pode encontrar o principal ponto do parque. Isso porque elas são a cara do jardim nas propagandas.

Dessa forma, as estufas são construídas em estilo ar-nouveau, que é a mesma arquitetura encontrada no Palácio de Cristal de Londres, construído no século 19. Aqui no jardim, teremos estufas com 458 metros quadrados, com estruturas de ferro e vidro.

Portanto, dentro desse espaço, tão protegido e sofisticado, só poderemos encontrar coisas muito valiosas, correto? A linha de raciocínio está correta!

Isso porque as espécies encontradas no interior da estufa são todas pertencentes a floresta atlântica.

Outrossim, é válido salientar que além da beleza interior encontrada no interior das estufas, você também terá uma linda vista contemplativa nos jardins franceses através dos vitrais.

Foi Abraão Assad que projetou toda a estrutura. Ele foi um dos arquitetos que concebeu o projeto Museu Botânico.

Jardim Francês

Inspirado nos Jardins Franceses, este jardim proporciona o contraste entre arbustos e flores.
Inspirado nos Jardins Franceses, este jardim proporciona o contraste entre arbustos e flores.

Como comentamos anteriormente, o jardim francês fica localizado em torno da estufa. Este espaço do Jardim Botânico de Curitiba tem esse nome porque se assemelha bastante com os jardins simétricos do rei sol.

Aqui no jardim, o estilo francês caiu bem para criar um contraste entre os arbustos e as flores. Além disso, é importante ressaltar que o jardim francês é construído para formar a bandeira de Curitiba.

Além disso, outras componentes presentes no jardim francês são as fontes e os chafarizes, e algumas estátuas, chamadas de Amor materno.

Museu Botânico de Curitiba (Herbário)

Museu abriga várias exsicatas de plantas locais.
Museu abriga várias exsicatas de plantas locais.

O museu é um anexo ao Jardim Botânico de Curitiba. Este museu é o quarto maior do Brasil.

Por isso, o museu conta com 400.00 amostras de exsicatas, plantas desidratas e catalogadas por botânicos. Além de um espaço educacional, o museu é aberto para temporadas de exposição de trabalhos de artistas paranaenses.

Jardim das Sensações

O jardim das sensações proporciona acessibilidade e igualdade.
O jardim das sensações proporciona acessibilidade e igualdade.

Primeiramente, vamos falar de uma curiosidade desse espaço do Jardim Botânico de Curitiba. O jardim de Curitiba só pensou nesse espaço muito tempo depois de sua inauguração, em 1991.

O jardim das sensações se inaugurou em 2008. O seu objetivo é permitir que visitantes com perda visual possam também usufruir do espaço botânico.

Em 200 metros de jardim das sensações, há 70 espécies, que podem ser cheiradas e tocadas. Além disso, cada espaço de plantas possui uma plaquinha em braile.

Além desse jardim, existem outros que adotaram a ideia de um espaço com acessibilidade. Você pode conferir esses outros jardins neste estilo clicando aqui.

Trilhas e lagos

As trilhas são ótimos locais para fotografia.
As trilhas são ótimos locais para fotografia.

As trilhas são os principais meios de transitar pelo Jardim Botânico de Curitiba. Os visitantes ao passarem pelas trilhas terão ótimos pontos de observação do parque, que é rodeado de lago que compõem a paisagem do local.

Jardim botânico Curitiba

Considerações Finais

O Jardim Botânico de Curitiba é um ótimo local para passear e aprender. Aqui você encontrará muito contato com a natureza, e ainda sairá com várias fotos para a sua rede social.