Conheça o Jardim Botânico de São José

Conheça o Jardim Botânico de São José

Em 2019 o Jardim Botânico de São José completou 4 anos de criação. Inaugurado em 14 de agosto de 2015, o jardim é o pioneiro em Santa Catarina.

Além disso, o espaço botânico, em pouco tempo de existência, já possui outras conquistas. Umas dessas conquistas é o reconhecido do espaço pelo Ministério do Meio Ambiente, e faz parte do Sistema Nacional de Jardins Botânicos (SNJB).

Outrossim, a fundação desse jardim é um marco para os estudos relacionado a preservação de espécies. E, assim como as universidades, o espaço possui 3 grandes pilares que o sustentam como instituição: a pesquisa, a extensão e o ensino.

Com esses moldes, o jardim possui a grande missão de educar ambientalmente seus visitantes, fomentar a pesquisa, além de poder investir na recuperação e proteção do patrimônio florestal.

Portanto, com essas “premiações” e essa importância, o vanguardista Jardim Botânico de São José será o tema do nosso artigo da série Jardins pelo Mundo.

Localização do Jardim Botânico de São José

                Situado no bairro Potecas, na Rua Cauassu s/n° em Santa Catarina, o Jardim Botânico de São José fica aberto de segunda a sábado das 9 às 17 horas.

O que tem no Jardim Botânico de São José?

Como área total de 160 mil m², o Jardim Botânico de São José é o primeiro jardim de Santa Catarina. Dentro desse contexto, você encontrará no espaço diversas espécies de plantas representantes da mata atlântica, bioma pioneiro do local.

Sendo assim, o jardim foi construído por meio de iniciativa privada. Por isso, o espaço escolhido para construção do jardim foi um loteamento de mesmo nome: São José.

Desse modo, além da vegetação, o jardim conta com uma sede administrativa, um anfiteatro para eventos de educação ambiental, trilhas ecológicas, estufas de vegetação nativa e um herbário.

Tour pelo Jardim

Logo na entrada do Jardim Botânico de São José podemos observar uma área destinada a espécies de plantas da caatinga. Aqui você conhecerá uma variedade de cactos. Além disso, você encontrará o setor administrativo local.

Trilha ecológica

Dando continuidade ao percurso, adentraremos em uma trilha ecológica, rodeada de plantas, como samambaias, de orquídeas, dentre outras.

Anfiteatro do Jardim Botânico São José

Em seguida, ao final da trilha, é possível observar áreas gramadas, ideais para piqueniques, para relaxar com a família e conversar. Nesse mesmo ponto do Jardim Botânico de São José temos também um anfiteatro a céu aberto, ideal para sarais e outros eventos culturais promovidos pelo próprio jardim.

Jardim sensorial

Jardim sensorial é referência na acessibilidade.

Outro ponto de extrema importância no Jardim Botânico de São José é o jardim sensorial. É nesse espaço que temos uma proposta interessante: conhecer este jardim utilizando nossos 5 sentidos.

Sendo assim, aqui você poderá sentir a textura, o formato, os cheiros e sabores do jardim. Todo esse espaço é formado por 70 metros, habitados por 45 espécies de plantas. No final do percurso você encontrará uma fonte de água.

É possível observar que todas as espécies possuem placas de identificação. Nelas você terá seu nome escrito com tinta, e em braile, tornando o espaço acessível.

Por fim, encontraremos placas indicativas que direcionam você a estufa e ao anfiteatro.

Estufa

Estufa com aula expositiva

Em seguida, chegamos a estufa. Em seu início é possível ver colmeias de abelha construídas em um espaço reservado. Já no interior da estufa nos deparamos com um conjunto de espécies nativas da região.

Por último por trás do bloco administrativo, encontramos um espaço de convivência, onde é possível descansar em bancos, observar plantas nativas, como as heliconias, e jogar xadrex.

Jardim botânico São José

Considerações Finais

O Jardim Botânico de São José, dentre os jardins botânicos já visitados aqui no blog, é o menor em extensão. Entretanto, isso não diminui a importância do jardim, que possui um papel muito importante: o de educar ambientalmente os cidadãos de Santa Catarina, fomenta a pesquisa e incentivar a conservação e o reflorestamento de espécies nativas.

Vale a pena visitar o local. Portanto, durante o período de pandemia  o espaço permanece aberto, mas para conseguir visita-lo é necessário seguir as recomendações de distanciamento social, e usar máscara.